Aprender e ensinar línguas a partir de uma perspectiva neurobiológica: conselhos e curiosidades

Como a interação entre as pessoas influencia o aprendizado de idiomas? Como aprendemos melhor? A linguista Marion Grein, da Universidade Gutenberg, em Mainz, esclarece essas dúvidas com base em estudos neurobiológicos.

jannoon028, Medical background, Crumpled paper brain shape with copy space for text or design. Disponível em: <a href=’https://br.freepik.com/fotos-vetores-gratis/mente’>Mente foto criado por jannoon028 – br.freepik.com</a>.

O cérebro processa informações por meio de sinais elétricos: imagens, sons e outras percepções são convertidas em impulsos elétricos. Quando fazemos algo, certas áreas do cérebro são ativadas e consomem energia que chega aos neurônios, que podem ser localizados por meio de ressonância magnética funcional. O aprendizado da perspectiva neural acontece quando populações de neurônios são produzidas, cada neurônio pode ter até 10.000 conexões sinápticas. Nessas redes neurais está o nosso conhecimento, que muda à medida que aprendemos novas informações. Isso se chama elasticidade. Após 20 minutos de treinamento de algo, é fácil que novas conexões e redes neurais ocorram. No entanto, se esse conhecimento não for ativado por uma semana, ele será excluído. A repetição através de diferentes formas de aprendizagem é necessária. Um exemplo seria praticar um idioma por vinte minutos. No dia seguinte, quase não há vestígios do que foi aprendido. Portanto, a prática diária regular dá melhores resultados do que praticar uma vez por semana intensamente e pausar por uma semana inteira.

Há certas vantagens quando se está reaprendendo algo: se, por exemplo, uma língua que não era praticada há anos e é “ativada” novamente pela prática, o aprendizado pode ocorrer mais rapidamente. No entanto, se algo não foi treinado por dez anos, pode ser que essa informação tenha sido completamente apagada.

A aprendizagem também é influenciada pela forma como o sistema límbico percebe o que estamos aprendendo, medindo sua relevância. É fundamental para a aprendizagem e é governado por emoções conscientes e inconscientes. Se, por exemplo, em uma aula de idiomas a voz do professor for monótona e chata, o sistema límbico classificará a informação como irrelevante, por mais motivado que o aluno tente ser.

Outros fatores que influenciam a aprendizagem são a simpatia pelo professor, elogios, movimentação física, curiosidade e vontade de agir e a duração da atividade. Geralmente, o tempo de atenção é bem mantido, dependendo da idade, entre 8 e 25 minutos. Portanto, é importante variar os exercícios depois de um tempo. A ocitocina, que é o “hormônio da ligação”, é fundamental para a motivação e é dada por meio de afeto, apreciação e demonstrações de apreciação.

Outro fator a ter em conta: quando começamos a aprender uma segunda língua, ativamos o vocabulário da nossa primeira língua. À medida que avançamos no domínio de uma língua estrangeira, o cérebro suprime essa ativação. Portanto, não é aconselhável nas aulas iniciais de uma língua excluir totalmente o uso da primeira língua, pois integrá-la é um processo natural e necessário nesta fase da aprendizagem.

É igualmente aconselhável que existam vários canais de aprendizagem e não apenas um, desde que não haja uma sobrecarga de informação. Há, por exemplo, estudos que mostram que quanto mais você usar gestos ao aprender algo, melhor será armazenado na memória de longo prazo. Caso sejam utilizadas imagens em sala de aula, é importante que os alunos se identifiquem com a faixa etária mostrada na imagem. Além disso, em atividades autênticas de conscientização auditiva, deve-se tomar cuidado para não sobrecarregar o aluno com muitas informações novas. A regra é: não mais do que 10% de novas informações. Caso contrário, os alunos se sentirão sobrecarregados cognitivamente. Para evitar certas sobrecargas cognitivas, pode ser uma estratégia para facilitar um exercício concentrar-se apenas em um aspecto e não em muitos simultaneamente. No entanto, a neurociência tornou verificável que cada aluno é individual e, portanto, não há e não pode haver um único método de ensino. Portanto, o mesmo método pode produzir uma reação contraproducente em um aluno, enquanto produz um efeito positivo no outro.

Se você quiser saber mais sobre esses tópicos, recomendamos o site da Profa. Dra. Marion Grein. Clique aqui: https://marionneurodidaktik.wordpress.com

Centro Austríaco lança material didático para A1 sobre Peter Handke e Elfriede Jelinek

Você conhece escritores austríacos que tenham recebido o Prêmio Nobel de Literatura? Já ouviu falar nas declarações controversas de Handke ou no estilo audacioso de Jelinek?

Conheça um pouco da obra e da vida privada dos escritores austríacos Peter Handke e Elfriede Jelinek. Ambos agraciados com o Prêmio Nobel de Literatura (ele, em 2019; ela, em 2004), Handke e Jelinek destacam-se no cenário literário mundial e alcançam grande relevância para a língua e a literatura de expressão alemã. Este material, pensado para iniciantes na aprendizagem do idioma (A1), serve de base introdutória para alunos e alunas acessarem discursos atuais em língua alemã que envolvam os dois escritores austríacos. Além disso, o material estimula os/as estudantes a falarem de seus gostos e preferências pessoais acerca da leitura e da literatura, relacionando-os com a temática proposta no material. 

O material é assinado por Gabrieli Carnim e Gabriela Hoffmann Lopes.

Confira o material:

Material Didático “Peter Handke und Elfriede Jelinek”
Informações úteis e sugestões didáticas

No Centro Austríaco, produzimos materiais didáticos sobre diversos temas atuais, interessantes e relevantes que dizem respeito à Áustria, sua língua e sua(s) cultura(s). Queremos produzir material que possa ser usado no ensino de alemão já nos níveis iniciais (a partir do nível A1), pois acreditamos que o ensino de uma língua não é apenas uma questão de gramática – junto com uma língua, podemos aprender muito sobre outros países, pessoas e histórias. 

Todo o material desenvolvido pelos integrantes do Centro Austríaco será testado em sala de aula antes de ser disponibilizado aqui no site. O material pode ser usado sem custo em sala de aula por todos os interessados e vem acompanhado de dicas didáticas para professores que ensinam alemão como língua estrangeira no Brasil e que querem levar um pouco da Áustria para dentro das salas de aula.

Clique aqui para conhecer o projeto acadêmico que embasa a produção de atividades o âmbito de Ensino de Alemão como Língua Estrangeira e aqui para ver outros materiais já produzidos pelo Centro Austríaco. 

Impulstanzfestival: evento onde Brasil e Áustria se encontram

Todos os anos, em Viena, a dança e a performance são celebradas nas ruas, nos palcos e nas oficinas. Este é o Impulstanz, um dos festivais de dança e performance mais importantes do mundo e o maior festival de dança da Europa. Não teria acontecido sem Karl Regensburger, o gestor cultural austríaco, e o bailarino e coreógrafo brasileiro Ismael Ivo. Tudo começou em 1984, com seis professores e 20 oficinas de dança. Mas foi a partir de 1989, após a queda do muro de Berlim e a progressiva unificação na Europa, que Viena se tornou um centro de intercâmbio europeu e, assim, ressurgiu a esperança de um futuro melhor para a arte e a cultura. Viena, conhecida como a cidade da música, recuperou uma nova identidade com Impulstanz, graças à paixão e entusiasmo de seus fundadores: “É possível, nunca perca a esperança de mudança!” disse que Ivo ao ser premiado com a Cruz de Honra pela Ciência e Arte em 2019 (citação: Kurier.at).

Saiba mais sobre esse artista incrível neste vídeo:

Ismael Ivo morreu aos 66 anos de idade de COVID em sua cidade natal, São Paulo. Seu pai era um trabalhador e sua mãe faxineira. Depois de estudar ciências sociais, filosofia e psicologia em São Paulo e ao mesmo tempo se formar em dança, passou para o cenário internacional como cofundador da Impulstanz. Karl Regensburger o descreve como um amigo incrível e um excelente professor. Por mais irônico que possa parecer, Regensburger vem de uma formação completamente diferente: se formou em administração e, segundo ele mesmo, quase nunca dança. No entanto, depois de trabalhar em um banco, foi para o mundo da arte e sem ele e Ivo este festival não existiria hoje. Astuto em números e assuntos financeiros e romântico em termos de arte, ele tem os ingredientes para que Impulstanz ressurja anualmente. Segundo ele, as artes não devem perder de vista a sociedade e se tornar um simples subsistema. Hoje, a pesquisa para bailarinos e coreógrafos profissionais é um novo pilar deste enorme projeto, no qual culturas de todo o mundo criam uma atmosfera e experiência como nenhuma outra.

Conheça alguns dos museus de Viena virtualmente

Você quer conhecer um pouco Viena no conforto de sua casa com tours 3D ou life-tours? Ou ainda visitar alguns dos museus mais conhecidos e conhecer sua riqueza cultural e histórica com um clique?

Ein Bild, das Text, drinnen enthält.

Automatisch generierte Beschreibung

Aqui estão algumas possibilidades para você iniciar sua jornada virtual:

O perfil @viennatouristboard no Instagram organiza regularmente life-tours, ao vivo, de vários museus da cidade.

O Museu Leopold exibe arte dos anos 1900 em Viena e também oferece tours virtuais gratuitos em alemão. Clique aqui para ver as datas disponíveis.

Além disso, muitos museus oferecem registros virtuais em 3D de obras do seu acervo, como por exemplo o Museu de História da Arte (Kunsthistorisches Museum Wien), e o Museu de Ciências Naturais (NHM Wien).

O Google Arts and Culture também permite que você conheça vários museus ao redor do mundo, inclusive alguns em Viena, como o Belvedere.

Outra oportunidade para aprender mais sobre arte e cultura em Viena é com os vídeos do Markus Hübl no YouTube. Neste vídeo apresenta a Adolf Loos, um dois arquitetos mais importantes na história de Áustria:

Rádio austríaca apresenta versão radiofônica da peça “O Fazedor de Teatro”, de Bernhard

O Fazedor de Teatro [Der Theatermacher], uma das peças mais icônicas, mais encenadas e mais engraçadas de Thomas Bernhard, ganhou recentemente uma versão radiofônica, com Peter Simonischek, um dos maiores atores do teatro vienense, no papel do protagonista Bruscon. Esse “fazedor de teatro” chega, junto com sua esposa e seu filho, a um pequeno vilarejo no interior da Áustria para apresentar sua peça “A roda da história” no palco improvisado da estalagem rural. Figura autoritária, patética e ridícula ao mesmo tempo, Bruscon oscila entre sua ambição megalomaníaca de deixar uma peça perfeita que o permita tornar-se um gênio eterno da dramaturgia mundial e a realidade que o cerca: a necessidade de se apresentar numa cidadezinha do interior com apenas 280 habitantes, cujo nome Utzbach nunca ouvira falar antes e onde não se escapa nem do cheiro dos porcos que habitam os estábulos ao redor nem da culinária precária. No Brasil, a peça foi traduzida por Samir Signeu e publicada pela editora Perspectiva

É possível ouvir a versão radiofônica gratuitamente até 15 de julho, na rádio Ö1: https://radiothek.orf.at/oe1/20220709/685179?origin=oe1.orf.at. Mais informações sobre a peça também em: https://oe1.orf.at/artikel/695539/Bernhards-Theatermacher-erstmals-als-Hoerspiel

Por Mayer Bruno em Wikipédia em alemão, CC BY 2.5, https://commons.wikimedia.org/w/index.php?curid=7738483

Conversa com a crítica literária Daniela Strigl já está disponível no YouTube do Centro Austríaco

Já está disponível no YouTube do Centro Austríaco a conversa “Sonderwege. Das österreichische Deutsch als Sprache der Literatur von Nestroy bis Jelinek”, com a crítica literária e pesquisadora Daniela Strigl. A conversa apresentou como a literatura trabalha com a variação linguística da língua alemã – e quais efeitos o uso dessa variação pode ter.

O evento fez parte da programação da Semana de Língua Alemã de 2022. As atividades do Centro Austríaco recebem apoio da Universidade Federal do Paraná, do Setor de Humanas da UFPR, do Departamento de Polonês, Alemão e Clássicas da UFPR, do Programa de Pós Graduação em Letras-UFPR, da Embaixada da Áustria em Brasília, do Consulado da Áustria em Curitiba, da Agência Brazil Way e patrocínio da Referência Rent a Car. 

Evento “Dona Leopoldina, uma arquiduquesa da Áustria, na terra das fadas e a independência do Brasil” já está disponível no YouTube

Já está disponível no YouTube do Centro Austríaco o evento “Dona Leopoldina, uma arquiduquesa da Áustria, na terra das fadas e a independência do Brasil”. A conversa contou com a participação da historiadora de ciências Christa Riedl-Dorn e uma apresentação do novo material didático do Centro Austríaco: Eine brasilianische Österreicherin.

O evento fez parte da programação da Semana de Língua Alemã de 2022. As atividades do Centro Austríaco recebem apoio da Universidade Federal do Paraná, do Setor de Humanas da UFPR, do Departamento de Polonês, Alemão e Clássicas da UFPR, do Programa de Pós Graduação em Letras-UFPR, da Embaixada da Áustria em Brasília, do Consulado da Áustria em Curitiba, da Agência Brazil Way e patrocínio da Referência Rent a Car. 

Goethe Institut abre bolsas para alunos de licenciatura de alemão como língua estrangeira

O Goethe Institut abriu 20 vagas para estágio supervisionado na América Latina para alunos de alemão como língua estrangeira ou de mestrado na área ou outras áreas afins. O programa será realizado de agosto a novembro de 2022 e conta com horários para observações de aulas, reuniões preparatórias, ensino de alemão e treinamento para o exame do C1.

Veja mais informações: edital em alemão e edital em português.

Saiba mais sobre Maria Leopoldina em novo material didático do Centro Austr´íaco

Você sabia que Dona Leopoldina, esposa de D. Pedro I, era austríaca? O novo material didático do Centro Austríaco foi desenvolvido para apresentar para estudantes iniciais (A1) de alemão esta figura importante, mas até então pouco mencionada, da história brasileira. Por meio do tema Família, mostramos um pouco mais da vida e da família daquela que foi uma das figuras centrais na independência do Brasil e também responsável por coordenar o surgimento das mais diversas áreas da ciência no Brasil.

O material é assinado por Alisson G. Ferreira e Isis K. Moosburger.

Confira o material:

Material Didático “Eine brasilianische Österreicherin”
Informações úteis e sugestões didáticas

No Centro Austríaco, produzimos materiais didáticos sobre diversos temas atuais, interessantes e relevantes que dizem respeito à Áustria, sua língua e sua(s) cultura(s). Queremos produzir material que possa ser usado no ensino de alemão já nos níveis iniciais (a partir do nível A1), pois acreditamos que o ensino de uma língua não é apenas uma questão de gramática – junto com uma língua, podemos aprender muito sobre outros países, pessoas e histórias. 

Todo o material desenvolvido pelos integrantes do Centro Austríaco será testado em sala de aula antes de ser disponibilizado aqui no site. O material pode ser usado sem custo em sala de aula por todos os interessados e vem acompanhado de dicas didáticas para professores que ensinam alemão como língua estrangeira no Brasil e que querem levar um pouco da Áustria para dentro das salas de aula.

Clique aqui para conhecer o projeto acadêmico que embasa a produção de atividades o âmbito de Ensino de Alemão como Língua Estrangeira e aqui para ver outros materiais já produzidos pelo Centro Austríaco. 

Semana da Língua Alemã acontece entre os dias 10 e 19 de junho

Entre os dias 10 e 19 de junho acontece a 6ª edição da Semana da Língua Alemã. O evento, idealizado pelas Embaixadas da Alemanha, Áustria, Bélgica, Luxemburgo e Suíça, conta com uma programação organizada por diversos parceiros culturais sobre o idioma e as culturas dos países de língua alemã. Clique aqui para ver a programação inteira.

O Centro Austríaco participa da Semana com dois eventos:

Clique aqui para se inscrever em “Sonderwege. Das österreichische Deutsch als Sprache der Literatur von Nestroy bis Jelinek”.

Clique aqui para se inscrever no evento “Dona Leopoldina, uma arquiduquesa da Áustria, na Terra das Fadas e a Independência do Brasil”.

Além disso, convidamos para a Roda de Literatura em Tradução: a narrativa de Lygia Fagundes Telles, com a participante do Centro Austríaco Angélica Neri e Rebecca Gramlich, que traduziram o conto “Um chá bem forte e três xícaras” da autora brasileira para o alemão para publicação em uma Antologia de Contos Brasileiros organizada pela Universidade de Viena. O evento é organizado pela Casa de Estudos Germânicos da UFPA.

Veja mais informações aqui e clique aqui para se inscrever.