O Centro Austríaco é um lugar de encontros e trabalhos colaborativos, além de organizar eventos e cursos sobre a Áustria, sua literatura e sua cultura. O espaço conta também com uma biblioteca especializada em literatura e cultura austríacas e está aberto ao público geral.

A criação desse espaço, que é coordenado por Ruth Bohunovsky, só foi possível graças à colaboração de um grupo de alunas e alunos da UFPR que, desde 2013, tem colaborado com grande engajamento pessoal e acadêmico. Além disso, o apoio por parte da UFPR, mas também da Embaixada da Áustria e de outras instituições austríacas foram imprescindíveis para a realização de diversos projetos como exposições, publicações e a criação da biblioteca e, finalmente, para a instalação de um espaço físico denominado Centro Austríaco, em 2019.

Nossos trabalhos e projetos têm dois focos temáticos: a tradução de peças teatrais austríacas e o desenvolvimento de material didático para o ensino de alemão como língua estrangeira no Brasil. Nesse momento, dois projetos acadêmicos constituem a base para os diversos trabalhos em andamento: “Traduzir o teatro e o cômico: dramas de Thomas Bernhard, Elfriede Jelinek e Wolfgang Bauer em versão brasileira” e “Ensino/aprendizagem cultural em Alemão como LE no Brasil em níveis iniciais: teoria, prática e divulgação digital”.

Coordenadora do Centro Austríaco

Ruth Bohunovsky mora no Brasil desde 1997, é professora na UFPR e, desde 2019, também é coordenadora do Centro Austríaco. Estudou nas Universidades de Viena, de Campinas (Unicamp) e de Santa Catarina (UFSC) e atua nas áreas de ensino de alemão e de tradução. Junto com um grupo de alunas e alunos, traduz livros sobre a Áustria e sua literatura e peças
teatrais de Thomas Bernhard, Elfriede Jelinek e outros escritores austríacos. Vive com o coração no Brasil e um pé em Viena.

Olá! Meu nome é Cristina  Rettenberger. Sou a primeira professora-leitora do Áustria no Brasil e fico muito feliz em poder participar desse projeto! Concluí meu mestrado em alemão como língua estrangeira e segunda língua na bela cidade de Viena. Como professora, tive a oportunidade de lecionar em diversos países como Austria, Equador, Vietnã, Portugal e, agora, no Brasil. Eu descobri minha paixão por idiomas e culturas como forma de conectar pessoas em todo o mundo. 

Professora-leitora do OeAD no Brasil
Comunicação no Centro Austríaco

Gisele Eberspächer é jornalista, mestre e doutoranda em Estudos Literários. Em sua dissertação, analisou e traduziu a autora austríaca Ida Pfeiffer, que veio para o Brasil em 1846 e escreveu um relato de viagem sobre isso. Também já traduziu Thomas Bernhard e Ingeborg Bachmann. Atualmente pesquisa a tradução do cômico na obra de Elfriede Jelinek. Trabalha com crítica literária desde 2012 no jornal “Rascunho” e no canal “Vamos falar sobre livros?”.

Oi, eu sou a Angélica Neri! Bacharel e mestre em Letras pela UFPR, me dedico à tradução e ao ensino de alemão como língua estrangeira. Entre muitas outras coisas, acredito que traduzir e ensinar uma língua são dois modos de vida que nos aproximam intimamente das nuances que constituem esse universo linguístico. Sou apaixonada por poesia e, nas horas vagas, gosto de correr meias maratonas por aí.

Everton Bernardes é bacharel em letras – português e alemão (ênfase em estudos da tradução) e mestrando em estudos linguísticos pela UFPR. Ao longo de toda a graduação, trabalhou com a professora Ruth Bohunovsky na tradução do livro “Áustria: uma história literária”, traduzindo textos de autores como Franz Grillparzer, Christine Lavant e Aloys Blumauer. Sua monografia foi uma proposta de tradução de “O Velo de Ouro”, de Franz Grillparzer. Tem interesse especial na tradução de drama e dramaturgia austríaca do século XIX.

Cristiane Bachmann é tradutora e preparadora/editora de livros. Mestra em Estudos Literários e graduada em Letras pela UFPR, está concluindo uma segunda graduação, na área de germanística. Colabora com a profa. Ruth Bohunovsky desde que participou do projeto de tradução do livro Áustria: uma história literária. No mestrado, estudou e traduziu textos poéticos de Ernst Herbeck. Nos últimos anos, Cristiane traduziu também, entre outros, Wolfgang Bauer e Stefan Zweig, e atualmente se aplica ao estudo e tradução de Elfriede Jelinek. Durante muitos anos, dedicou-se também ao Teatro, como atriz.

Olá, sou Hugo Simões, bacharel em Direito e Letras pela UFPR, mestre e doutorando em estudos literários pela mesma instituição. Durante a graduação em Letras estudei e traduzi peças de Thomas Bernhard, individualmente e em oficinas de tradução. Além de traduzir teatro, dedico-me à tradução de poesia e estudo criticamente o ofício da tradução, em específico sua relação com as categorias corpo, silêncio e vida.

Me chamo Luiz Abdala Jr. e sou bacharel em Estudos da Tradução na UFPR. Com a professora Ruth Bohunovsky realizei um trabalho de Iniciação Científica sobre a dramaturgia de Thomas Bernhard e traduzi peças do autor. Atualmente faço mestrado em Estudos Literários na mesma instituição, pesquisando e traduzindo a poesia de Rose Ausländer, nascida no antigo Império Austro-Húngaro. Entre meus interesses estão o estudo crítico da tradução, a tradução de poesia e de teatro.