A morte do artista e ativista Willi Resetarits deixa buraco na alma da música austríaca

O músico Willi Resetarits, mais conhecido por seu nome artístico Ostbahn Kurti, morreu aos 73 anos em um acidente ao cair da escada de sua casa no último domingo, 24 de abril. Por mais de 50 anos, ele celebrou grandes sucessos no cenário musical austríaco. Resetarits foi desde o início não só fiel à música, mas também aos seus ideais, atuando como ativista e criando várias instituições como, entre outras, a Vienna Integrationshaus e a fundação SOS Mitmensch.

By Manfred Werner (Tsui) – Own work, CC BY-SA 3.0, https://commons.wikimedia.org/w/index.php?curid=2397693

Nascido em 1948 de pais croatas em Burgenland, chegou a Viena com apenas 3 anos de idade. Lá ele aprendeu alemão e estudou educação física e inglês por um tempo, apesar de gostar de música desde cedo. Sua primeira banda política, Butterflies, estava em sintonia com o movimento hippie da época, abordando questões sociais e oferecendo muitos shows beneficentes. Sua maior fama foi alcançada ao recriar um personagem fictício em uma nova banda, a “Ostbahn Kurti”. “Ostbahn Kurti” foi um personagem teatral do autor austríaco Günter Brödl, que representou uma figura quase lendária do Rock’n Roll. Resetarits, o novo “Kurti”, traduziu clássicos americanos do rock e do soul para o dialeto vienense. Com a autenticidade de suas letras, sua paixão pela música e seu carisma, conquistou o coração de muitos ouvintes.

Apesar de ter se aposentado em 2000, o Resetarits não deixou de ser ativo: na noite anterior à sua morte, ele se apresentou no Refugee Bail. “Sua autoridade era o humanismo, não a idade ou o sucesso” cita o jornal Standard, e isso se reflete sem dúvida em sua jornada de vida, que ficará para sempre na memória musical coletiva da Áustria. Este homem multifacetado é um exemplo de pessoa que alcançou a excelência não só na área profissional, mas também na sua responsabilidade social e humanitária e em saber levar um sorriso a cada pessoa com quem partilhou suas histórias.

Conheça alguma de suas músicas:

A importância da criatividade em nossas vidas: convite para um bate-papo online com Erwin Reisinger

De onde vem a criatividade e, mais do que tudo, por que é importante promovê-la?

A boa criatividade permite às pessoas uma autonomia individual especial ao usar livremente suas emoções e pensamentos. É importante referir que a linguagem é, segundo alguns psicólogos, a parte mais desenvolvida das nossas poucas capacidades inatas e dos nossos programas (biológicos), permitindo-nos ser mais criativos. As artes têm a ver com a veracidade e exigem autorreflexão. Por isso, a comunicação se torna uma parte central, afinal, arte é comunicar a veracidade para si mesmo e para os outros.

Os artistas idealmente ativam todos os três tipos de mentalidades e experiências emocionais que levam à satisfação: sensual-imaginário, emocional e intelectual. Quando todos os três estão sendo mobilizados, as pessoas ficam com a impressão mais forte. Pode-se interpretar que o que permanece significativo para as pessoas ao longo do tempo permanece o mesmo, o que muda não são suas necessidades básicas, mas a forma como essas necessidades são expressas. Por isso, algumas obras artísticas do passado ainda são consumidas hoje: diferentes formas expressam uma ideia, algo que continua sendo percebido como verdade ou valor na sociedade até hoje.

A expressão criativa permite que o público sinta que está expressando algo que não é fácil para eles comunicarem de alguma forma, seja devido a restrições sociais ou habilidades/recursos limitados. Portanto, a criatividade libera e permite novas perspectivas e o pensamento crítico, abre caminhos para novas interpretações, nos liberta, talvez, do medo de errar e isso abre novos espaços de aprendizagem com uma percepção mais ampla do conceito de identidade e cultura.

Convidamos você a refletir sobre criatividade na música e na linguagem em nosso bate-papo na próxima quarta-feira, dia 20 de abril, com Erwin Reisinger. Nesta entrevista, o músico e compositor Erwin Reisinger fala sobre composição, letras e criatividade. Baseado na música austríaca, em que a variedade da língua austríaca expressa sua diversidade colorida, mostra como a música versátil pode ser criada através de uma linguagem rica em variedade.

A música de Erwin Reisinger é descrita como “pé no chão, acústica e maravilhosa”, você pode sentir sua empatia honesta em cada música. Em suas canções, dialeto e melodia austríacos se fundem em uma convivência harmoniosa, seja melancólica, pensativa ou exuberantemente feliz.

As múltiplas viagens e experiências formativas que pôde realizar ao longo de sua vida não se refletem apenas em cada linha de seus textos, mas também o impeliram a escrever um livro. Seu novo álbum, “ondraseits”, foi lançado este ano.

Clique aqui para se inscrever.

Workshop sobre Grupo de Viena está disponível no YouTube

O Workshop sobre o Grupo de Viena, realizado por Rutchelle K.M. Salde como parte dos eventos do Foco Temático 2022: A língua alemã na Áustria, está disponível no YouTube do Centro Austríaco.

A palestra apresenta o Grupo de Viena, formado por escritores no período do pós-guerra. Com a ajuda de poesia experimental e poesia lírica, poemas em dialetos, jogos de linguagem, poemas visuais e outros, o grupo se tornou um marco do modernismo austríaco.

Atenção! Inscrições para bolsas dos cursos de verão da Uni Wien e bolsa de artes vão até 31/03

As inscrições para a bolsa bolsa do curso de verão “Estudos Internacionais e Europeus” vão até 31 de março. Neste programa da Escola de Verão da Universidade de Viena é possível conhecer a Europa de uma forma holística através da história, política, cultura e outros aspectos com excelentes profissionais, e ao mesmo tempo desfrutar atividades de lazer com pessoas de todo o mundo no belo Lago Wolfgang, localizado em Salzburgo. Clique aqui para obter mais informações.

Para os apaixonados por arte, há também uma bolsa de trabalho para jovens artistas de até 33 anos. O projeto consiste em um espaço de estudo e acomodação na cidade de Innsbruck, onde se pode desenvolver seu próprio projeto de arte por meio ano ou mais, bem como trabalhar num programa de oficinas de arte em paralelo (rendimento máximo mensal 446,81 Euros). O prazo de inscrição é 4 de abril. Clique aqui para mais informações.

Se precisar de ajuda com o processo de candidatura, entre em contato diretamente com Cristina Rettenberger, leitora OeAD (cristina.rettenberger@oead-lektorat.at).

Reunião sobre as bolsas do programa de verão “Estudos Internacionais e Europeus” é realizada via Zoom no dia 09/03 

A Universidade de Viena convida para uma reunião informativa sobre as bolsas do programa de verão “Estudos Internacionais e Europeus”. As inscrições para o curso foram estendidas até o dia 31 de março para estudantes com interesse em receber ajuda financeira – a admissão para alunos regulares é encerrada no dia 30 de abril.

O curso de verão acontecerá de 16 de julho a 13 de agosto de 2022. O programa de quatro semanas oferece cursos de estudos europeus, a Academia Austríaca de Arbitragem e cursos de alemão.

Os cursos de Estudos Europeus são ministrados em inglês e se concentram na Europa e na União Europeia. Eles abrangem transformações políticas, econômicas e jurídicas, mas também aspectos históricos e culturais das múltiplas transições pelas quais o continente está passando hoje. A Academia Austríaca de Arbitragem concentra-se na resolução de disputas internacionais por tribunais arbitrais.

Próxima sessão de informação online para futuros alunos:

9 de março de 2022, 13:00 Hora da Brasilia (UTC-3)
Esta é a oportunidade perfeita para fazer perguntas e obter feedback instantâneo.

Link do zoom: https://us02web.zoom.us/j/8541588279?pwd=QlJnenY3bjFwMTUyaHJiak1qWktjdz09
Reunião-ID: 854 158 8279
Código: 345887

Para mais informações sobre a Sommerhochschule e a escola de verão, visite o site: http://shs.univie.ac.at.

Bolsas integrais e parciais para o curso de verão “Language-Culture-Literature”

Temos excelentes notícias! Este ano serão concedidas bolsas integrais para o Curso de Verão “Linguagem-Cultura-Literatura”, e o Brasil entrou na lista de países que podem se inscrever! Esta bolsa cobre os custos totais do curso e acomodação. 

Este curso destina-se principalmente  a futuros professores e tradutores de alemão, estudantes e graduados com o nível alvo B2 ou superior, que tenham um sólido conhecimento prévio de filologia e estejam interessados no país, cultura e história literária específica da Áustria. O curso é promovido pelo Zentrum für Sprache, Plurilingualismus und Fachdidaktik da Universidade de Graz.

O curso ocorre entre 3 a 23 de julho de 2022 e trabalha com competências linguísticas e interculturais, com uma aprendizagem orientada para lidar com situações de contato linguístico entre países de língua alemã.

Tanto as pessoas que desejam uma bolsa integral quanto as que querem pedir a redução de custos (para € 385), devem escrever para a leitora Cristina Rettenberger (e-mail: cristina.rettenberger@oead-lektorat.at) para solicitar uma carta de recomendação.  

Para mais informações sobre o curso, clique aqui. Se você quiser mais informações sobre a bolsa ou tiver perguntas específicas, escreva um e-mail para alexandra.tzivanopoulos@uni-graz.at. O prazo de inscrição é 9 de maio de 2022.

Batata, janeiro, vestibular e o alemão da Áustria

O foco temático do Centro Austríaco em 2022 é a Língua Alemã na Áustria. Estamos organizando uma série de eventos sobre o tema – veja mais aqui. A primeira palestra do ano será com o Dr. Manfred Glauninger no dia 15 de março (inscrições abertas), sobre a diversidade formal e funcional da língua alemã na Áustria. Convidamos a Camila Meirelles, doutoranda na Universidade Federal do Paraná e membro do Centro Austríaco, para escrever um texto introdutório sobre o tema.

Erdäpfel, Jänner e Matura. O que essas palavras têm em comum? Todas elas são
“autriasismos”, ou seja, usadas na Áustria e fazem parte do alemão padrão austríaco.
Se eu estiver em um Kaffeehaus em Viena, por exemplo, eu provavelmente vou ouvir:
Ich möchte gern einen “Kaffée” (com a pronúncia mais parecida com a do português) mit
Schlagobers, e não: Ich möchte gern einen “Káffee” mit Sahne.

O alemão da Áustria tem características próprias, principalmente em relação ao
vocabulário e à pronúncia, mas existem diferenças morfológicas, sintáticas e
pragmáticas também.

E isso porque o alemão é uma língua pluricêntrica. Talvez você já tenha ouvido essa
afirmação. Mas o que isso significa? Além do alemão, línguas como o português, o
inglês, o espanhol, o francês (e várias outras) são também pluricêntricas. Já dá para
ter uma noção do que significa esse pluricentrismo, né?

Línguas pluricêntricas são aquelas com vários centros, cada um com sua norma
padrão. Na prática, isso significa que não existe uma única forma correta da língua. O
inglês da Inglaterra não é melhor que o inglês dos Estados Unidos (ou vice-versa).
Nem o português de Portugal é melhor que o português do Brasil. Essas línguas
possuem semelhanças e diferenças e são faladas de modos diferentes dependendo
da região ou país. O que é natural e faz parte da natureza das línguas.

E quanto ao alemão? Quando falamos em língua alemã geralmente a primeira coisa
que pensamos é na Alemanha. Mas não é só na Alemanha que se fala alemão. O
alemão é língua oficial na Áustria, na Suíça, em Liechtenstein (que é um país bem
pequeno entre a Áustria e a Suíça), em Luxemburgo, em parte da Bélgica e no norte
da Itália. O alemão ainda é falado em diversas regiões pelo mundo, como na Namíbia,
na Romênia e também no Brasil, só para citar alguns exemplos.

Se o alemão é falado em tantos lugares com certeza existe uma grande diversidade
linguística e cultural. E claro que não dá para a gente aprender todos esses modos de
falar e escrever. Mas podemos nos familiarizar um pouco com essa diversidade.
E quando a gente escutar alguém, da Áustria ou da Suíça, por exemplo, falando um
alemão diferente daquele que nós aprendemos, não vai ser um choque, porque nós já
vamos saber que as diferenças existem, e assim vai ser bem mais fácil entender.

Programação 2022: Palestra sobre linguagem e identidade com Dr. Glauninger

O Centro Austríaco já começa a preparar sua programação para 2022: e já está confirmada uma palestra com o professor Dr. Manfred Glauninger sobre o importante papel que a linguagem desempenha para a identidade na sociedade, com foco na Áustria. Qual é o papel dos dialetos? Como e por que uma linguagem se transforma com o tempo?

Manfred Glauninger. CC-BY 4.0, Sandra Lehecka.

Manfred Glauninger é sociolinguista do Centro de Humanidades Digitais da Academia Austríaca de Ciências e gerente de projetos no departamento “Variação e mudança no alemão na Áustria”. Ele também leciona na Universidade de Viena e dirige o projeto “Cartografia Dialética Austríaca 1924-1956”. Saiba mais sobre Dr. Manfred Glauninger aqui.

Em breve mais informações.

Bolsas para programa online de estudos de história e cultura austríaca

Burgtheater, em Viena.
Unknown author, Public domain, via Wikimedia Commons

Você é fascinado por história e cultura e quer aprender mais sobre grandes pensadores e sua influência na história europeia? Então, não hesite em se inscrever neste programa oferecido pela escola de inverno da Universidade de Viena!

No curso, você pode explorar o desenvolvimento da sociedade por meio da psicologia, das artes, da música e da literatura em Viena por volta de 1900. Qual a influência que grandes pensadores como o psicanalista Freud, pintores como Klimt ou músicos como Mahler tiveram em diferentes culturas europeias e em todo o mundo? Como a cultura fin-de-scièle da monarquia dos Habsburgos contribuiu para a modernização da Europa?  Por meio de conferências interdisciplinares, é possível aprofundar os conhecimentos nestes temas. As aulas são ministradas por professores com experiência internacional e acadêmicos de destaque. Além disso, o programa inclui um tour online por Viena. Você poderá conhecer, entre outros, a arquitetura do famoso movimento Art Noveau, a famosa Ringstraße e muito mais!

As inscrições se encerram no dia 31 de dezembro. Mais informações:

Informações sobre o programa online: http://shs.univie.ac.at/winter-school

Informações sobre o procedimento de inscrição: https://shs.univie.ac.at/winter-school/application-fees/application/

Informações sobre a bolsa: https://shs.univie.ac.at/winter-school/application-fees/scholarship/

Se quiser mais informações sobre bolsas e possibilidades de financiamento para estudos na Áustria, clique aqui.

ABEG prorroga o prazo de inscrição de comunicações

O 4º Congresso da Associação de Estudos Germanísticos prorroga o prazo de inscrição de comunicações para o dia 24 de outubro. O evento acontece entre os dias 24 e 26 de novembro de 2021 em formato online. Clique aqui para ver as propostas de seções e aqui para acessar os resumos.

Também convidamos todas e todos a conhecer a seção DACH(L): a diversidade linguística e cultural dos países de língua alemã na teoria e em sala de aula, organizada por Ruth Bohunovsky (UFPR), coordenadora do Centro Austríaco, e Anisha Vetter (UNICAMP). Confira a descrição:

DACH(L): a diversidade linguística e cultural dos países de língua alemã na teoria e em sala de aula
Criado nos anos 1990 para substituir as “ABCD-Thesen”, o conceito “DACH(L)” – acrônimo que representa os três países de língua alemã Alemanha (D), Áustria (A) e Suíça (CH), assim como a pequena Liechtenstein – continua presente e relevante na área de ensino/aprendizagem de alemão como segunda língua/língua estrangeira. A coletânea Weitergedacht – Das DACH-Prinzip in der Praxis (Shafer, Middeke, Hägi-Mead, Schweiger 2020) – que, aliás, foi publicada integral e gratuitamente na internet – mostra a atual diversidade de abordagens teóricas e práticas relativas à questão de como, porque e em que medida abordar em sala de aula assuntos ligados à diversidade cultural e linguística dos países de língua alemã. Hoje, há unanimidade de que as três variações nacionais do idioma alemão, o alemão, o austríaco e o suíço, são igualmente corretas e que temas e discursos relacionados com todos os países e regiões de língua alemã devem ser integrados no ensino, em livros didáticos e em provas oficiais. Partindo dessas premissas, esta sessão tem como objetivo refletir como o conceito DACH(L) pode e deve fazer parte do ensino de alemão como LE no Brasil, um país muito distante dos países de língua alemã e onde a maioria dos aprendizes se encontra em níveis iniciais. Convidamos a participar da nossa sessão todas e todos interessadas/os em questões como: a diversidade linguística do alemão, isto é, as três variações nacionais consideradas Standarddeutsch, pode e/ou deve ser levada em consideração no ensino da língua no Brasil? Em que momento, em que medida e com que material didático esse tema deve ser abordado? Como podemos tratar de assuntos culturais relacionados aos diversos países e regiões de língua alemã, sem lançar mão de estereótipos turísticos e/ou culturais? Como podemos entender o conceito de “cultura” no intuito de estabelecer um diálogo entre a teoria e a prática? Quais as abordagens teóricas e didáticas mais úteis, mais atuais ou mais relevantes para nos ajudar a estabelecer esse diálogo de uma maneira viável para os docentes e benéfica para os aprendizes?

Anisha Vetter (UNICAMP)
Ruth Bohunovsky (UFPR)

Em caso de dúvidas, escrever para ruth.bohunovsky@gmail.com. As propostas de comunicações podem ser enviadas para o mesmo endereço.