Em 1949, o filósofo alemão Theodor W. Adorno escreveu que seria “bárbaro” escrever poesia “após Ausschwitz”. A “Fuga da Morte” – senão toda a obra – de Paul Celan pode ser lida como uma prova do contrário, como um trabalho e um confronto poético-estético cujo tema é justamente a experiência do holocausto.

Paul Celan nasceu há exatamente cem anos, em 23 de novembro de 1920, em Chernivtsi, cidade que hoje fica na Ucrânia, mas que naquela época ainda fazia parte do Império Austro-Húngaro. Para Celan, o idioma alemão foi, ao mesmo tempo, “língua materna”, “língua dos assassinos” de seus pais (ambos mortos em campos de concentração durante o regime nazista) e, também, “língua poética”. A reflexão sobre os limites da língua e da comunicação humana para expressar experiências extremas e de não-pertencimento foram essenciais para sua obra poética.

Para conhecer mais:

Paul Celan

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s